QUEM NÃO CORRE... É PORQUE ESTÁ VOANDO
ANTECIPAR!

35% DE DESCONTO APROVEITE A VIDA SEM PROBLEMAS
Seguro de cancelamento + seguro de viagem INCLUÍDO

reserva

Reservas

Reserve agora

RESERVE AO MELHOR PREÇO

-
Noite
Selecionar
  • Quarto 1
Os quartos e ocupação

Quarto 1

Quarto 2

Quarto 3

Noticias · News
by Casual Hoteles
Quando Cristóvão Colombo descobriu a América em 1492, o mundo mudou. E ele fez isso para sempre. Sevilha tornou-se o verdadeiro centro do mundo comercial, social e cultural: a porta de entrada para o Novo Mundo. Propomos uma viagem para descobrir os vestígios deixados por esta profunda transformação na cidade com um roteiro turístico com muita história. Visitaremos jardins, edifícios históricos, monumentos, etc., que fazem parte da história viva desta cidade maravilhosa. E que têm a ver com a grande Descoberta de Colombo. Vamos precisamente começar esta viagem, de cerca de 4 quilómetros e 10 locais, visitando a estátua que lhe presta homenagem, por isso, se estiver pronto, comece já a sua própria descoberta de Sevilha. E lembre-se, se o calor ou o cansaço o prejudicarem durante a viagem, temos nosso Casual Sevilla de Las Letras para descansar ou se refrescar. Aguardamos você de braços abertos e nossa melhor disposição para tornar sua estadia muito mais agradável. Vamos começar!

1. Monumento a Cristóvão Colombo. Jardins Murillo.

É uma fonte circular sobre a qual se ergue um pedestal com bustos de Cristóvão Colombo e dos Reis Católicos. Foi desenhado por Talavera e executado pelo escultor Lorenzo Coullaut Valera.

2.Edifício da Reitoria da Universidade de Sevilha. C/São Fernando, 4.

O edifício, a antiga Fábrica Real de Tabaco de Sevilha, foi a primeira fábrica de tabaco estabelecida na Europa. Na sua fachada principal podemos encontrar, entre a sua decoração, uma recordação da época do Descobrimento da América com alguns relevos alusivos como a moagem de tabaco, veleiros e bustos que representam Cristóvão Colombo e Hernán Cortés, bem como dois índios, um deles fumando cachimbo.

3. Hortelã. C/ Maese Rodrigo s/n.

A Casa da Moeda Real de Sevilha foi o centro nevrálgico onde se fundiam o ouro e a prata da época, que mais tarde foi convertido em marcos e dobrões para posterior sustentação da economia europeia em meados do século XVI, época dos conquistadores de o novo Mundo.

4. Reales Alcázares (Antiga Casa de Empreitada). Pátio de Banderas, s/n.

A Casa de la Contratación foi criada para promover e regular o comércio e a navegação com o Novo Mundo. Ocupava um setor do Real Alcazar conhecido como Sala dos Almirantes. O que resta hoje da antiga Casa de Contratación é apenas uma parte do que outrora ocupou, como a Sala do Almirante e a Sala de Audiências, que hoje podemos visitar nos Reales Alcázares.

5. Arquivo das Índias. Avenida da Constituição, s/n.

A Casa Lonja de Mercaderes de Sevilla foi criada como uma associação comercial para proteger o comércio da cidade contra os "não-burgueses". A construção de um edifício para a sede da Lonja decorreria entre 1584 e 1598 na mesma avenida, junto à Sé, e foi escolhida como sede do arquivo, tarefa que desempenha até hoje. Este edifício acabaria por ser a sede do Arquivo das Índias. O Arquivo Geral das Índias em Sevilha seria criado em 1785 com o objetivo de centralizar num único local a documentação referente à administração das colónias espanholas, até então dispersas em vários arquivos: Simancas, Cádiz e Sevilha. Pode saber mais sobre Sevilha na nossa secção Turismo em Sevilha.

Comentários

Reservas

Reserve agora

MELHOR PREÇO ON-LINE

Número de noites: X